Jurema Proteção do Cerrado

Projeto Olho D’Água
Preservando remanescentes do bioma Cerrado na Bacia do Paraná



O projeto Olho D'Água apoia a criação de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) para proteger 500ha de Cerrado na Bacia do Paraná e oferecer monitoramento para Unidades de Conservação da região.

O projeto vai engajar proprietários de terra para proteger uma área total de 500 ha. Será oferecido consultoria, apoio técnico e documental para o processo de criação RPPNs junto ao ICMbio. No âmbito das Unidades de Conservação já existentes na região iremos  disponibilizar a ferramenta Suindara Sistema de Alerta de Queimadas e Desmatamento e capacitar gestores de Unidades Conservação para sua utilização.

Temos como propósito efetivar 500 hectares de RPPNs na bacia do Paraná e implementar o Suindara Sistemas de Alertas em ao menos 10 Unidades de Conservação na Bacia do Paraná, com isso apoiar o monitoramento de 1 milhão de hectares de Cerrado na bacia do Paraná.

O "Olho D’água" busca trabalhar com parceiros locais, tais como ONGs, Secretarias, Prefeituras, Sindicatos, Redes de Brigadistas e demais instituições que possam contribuir divulgando e engajando proprietários interessados em criar RPPNs e gestores de Unidades de Conservação que queiram monitorar queimadas e desmatamentos em suas áreas.  

O projeto Olho D'Água, realizado em parceria com a Coca Cola Brasil, é um desdobramento do Programa Jurema Proteção do Cerrado desenvolvido pelo Instituto Cerrados.
Já estão abertas as incrições para 1ª Chamada para Criação de Reservas Privadas no Cerrado da Bacia do Paraná. Você proprietário rural que deseja investir em sustentabilidade, venha receber apoio para cria sua RPPN.


Os municípios-chave que serão priorizados na  Chamada são Cocalzinho de Goiás, Pirenópolis, Corumbá de Goiás, Campo Alegre de Goiás, Ipameri, Catalão, Mineiros, Serranópolis e Itarumã, em Goiás. E Tapira e Delfinópolis, em Minas Gerais, conforme a figura a seguir:

Imagem


Se você é proprietário de imóvel rural na bacia do Paraná, essa é uma oportunidade para somar esforços em prol da sustentabilidade e  da proteção de ambientes naturais.

Contexto do Cerrado na bacia hidrográfica do Paraná

Em junho de 2021, a mídia expôs a situação de emergência hídrica na bacia do Paraná, decretada pela Agência Nacional de Águas (ANA), com implicações preocupantes para o setor agrícola e energético. Em um trecho da UHE Água Vermelha, por exemplo, que faz parte do sistema de reservatórios da bacia do Paraná, o nível da barragem estava abaixo de 8% de sua capacidade após o último período chuvoso, segundo nota do ClimaInfo. 

As mudanças climáticas e o desmatamento são apontados como causas da redução da vazão do rio Paraná em 2021. Dessa forma, fortalecer o monitoramento e ampliar a preservação do Cerrado remanescente na bacia do Paraná é fundamental para garantirmos a manutenção de importantes serviços ecossistêmicos, em especial o provimento de água.
 
Ainda existem 17 Mha cobertos por vegetação nativa na bacia do Paraná, o que corresponde a 41% da porção delimitada pelo bioma Cerrado. 

O projeto Olho D'Água pretende contribuir efetivamente com a proteção de ambientes naturais nessa região, além de apoiar a gestão e o monitoramento das queimadas e do desmatamento em outras UCs, desde RPPNs, até grandes Parques Nacionais.

Deixe seu comentário sobre o que você achou desse artigo.